Fotografando alimentos: segredos e dicas

0
863

O estímulo visual é um fator determinante para qualificarmos o sabor de um alimento. Tendemos a gostar e ter vontade de experimentar um prato que tenha uma bela aparência, seja na culinária mais simples, feita em grande escala, ou nos pratos mais personalizados. Já ouviu falar que “pela foto parecia mais gostoso”?

Nas grandes redes de restaurantes, como em fast foods, o importante é que a imagem não mostre apenas o visual do alimento – sendo muitas vezes diferente do que é realmente oferecido. Porém, é necessário que a imagem capte exatamente o sabor daquela refeição, atraindo e convidando pelo visual.

Iluminação ideal

alimento

É pouco recomendado o uso do flash na fotografia de alimentos, principalmente porque a luz frontal tende a apagar a textura do prato, além de dar muito enfoque para os componentes do primeiro plano da imagem. A iluminação mais adequada é a natural, mas caso você precise registrar as imagens dentro de um estúdio fotográfico, o correto é utilizar os equipamentos de maneira a iluminar de trás para frente – com um refletor na parte frontal, preferencialmente, fazendo com que a luz seja refletida novamente para o prato. Assim nenhuma região fica “apagada” na foto.

Conseguindo a luz perfeita, o fotógrafo pode ficar mais tranquilo ao usar o ISO mais baixo, pois quando ele está muito alto a imagem fica granulada, perdendo a nitidez e o contraste.

Foco

Maças

Dependendo do prato, o interessante é que a imagem não seja muito próxima, podendo conseguir um panorama e uma visão mais completa da “obra”. Muitos elementos que não tenham a ver com o assunto principal devem ser eliminados, para que a atenção seja sempre para aquilo que você realmente deseja mostrar.

Um outra maneira de dar mais importância ao assunto principal é tirando do foco o restante do cenário. O efeito “embaçado” facilita a qualquer observador perceber qual é o ponto principal da imagem.

Para manter a imagem nítida é necessário também ter muita estabilidade. Sendo assim, o tripé se torna um acessório obrigatório nesses casos.

Maquiando a comida

comida

Para as situações em que o importante é apenas uma representação da comida – e não registrar algo que você pretende comer – o fotógrafo pode passar substâncias que realcem a cor ou o brilho de alimentos.

Também não é incomum a utilização de modelos feitos de materiais não comestíveis para que as fotos fiquem próximas da perfeição.

Atraindo pelo momento

pizza

Tudo que é “feito na hora” parece ser mais gostoso. Este é, aliás, o slogan utilizado por muitos restaurantes para garantir que o sabor de suas refeições é superior ao dos concorrentes. Assim como é importante transmitir a informação do sabor para o consumidor, declarar por imagem que o alimento está quente ou acabou de ser preparado também é um método para atrair a atenção – e a vontade.

Desta maneira, após preparar todo o cenário e o equipamento, você pode usar artifícios para mostrar que ele está quente ou “saído do forno”. Muitos fotógrafos usam incensos e outros utensílios que geram aquela “fumacinha” típica de algo saído do forno.

Temática

chocolate

Com a Páscoa chegando, as fotos dos ovos de Páscoa já criam em todos a expectativa e a vontade de ganhar e presentear com as guloseimas de chocolate. Para conquistar o observador pelos olhos, além de fotografar o ovo e seu recheio, é importante ter imagens do produto final – decorado e pronto para consumo. O cenário na imagem pode trazer ainda um apelo emocional para quem deseja comprar o ovo de Páscoa.

Quando a proposta é fotografar um prato, o mais importante é conquistar seu observador pelo visual, fazendo com que ele acredite que aquilo é real e é exatamente o que ele quer naquele momento. Uma publicidade com a foto de um belo alimento chamará muito mais atenção do que qualquer descrição!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here